Coleção Infantil: Perguntas à procura de resposta

Publico alvo: crianças de 6 a 12 anos

Com leveza, aventura e muita diversão, a coleção procura promover a reflexão à volta de princípios, e de outros aspectos relevante para a criança e para a sua relação com os outros.
A autora, Rita Vilela, licenciada em psicologia, atua na área educacional e também como terapeuta além de escrever.
Alguns de seus livros já foram publicados na Itália, Venezuela e agora, pela PHAROS, no Brasil.
A ilustração de Ana Sofia Caetano (http://ana-sofia-caetano.blogspot.com) completa desta forma um excelente conjunto para encantar as crianças do Fundamental I. Em cada livro, princesas, animais e personagens imaginários nos falam de realidades e problemas do universo infantil. No final de cada livro, os educadores encontram uma ficha com questões destinadas a promover a comunicação em torno das mensagens apresentadas. Uma coleção que ajuda crianças e adultos a conhecerem-se melhor... É recomendada pelo PNL (Plano Nacional de Leitura) recebendo um selo de qualidade do governo de Portugal. Rita Vilela costuma dizer que escrever se tornou uma paixão, um vicio que não quer largar. Com isso já conta com mais de 40 títulos publicados.
Maiores informações sobre a coleção: http://procura-de-resposta.blogspot.com

A Boca que Gritava Demais

Aquela boca tinha uma voz forte, bonita....mas não sabia usa-la
Gritava demais.
Gritava se estava triste, se queria alguma coisa,....até conseguir
Se tinha medo, se estava feliz, Por tudo e por nada.....

Os 7 maiores tesouros

Tudo começa com um desafio que o mestre mocho lança aos seus alunos: fazerem uma lista dos seus maiores tesouros.
Qual dos animais vencerá este desafio? A cegonha que tem um bebé? ? O castor que tem uma casa no lago? A girafa que...?

O Trenzinho dos fugitivos

O Comboio dos Fugitivos, o número 3 da coleção, é a história de um conjunto de animais que não vivia satisfeito, porque o dono nunca dizia que gostava deles.
E porque?
Alguma vez você já se sentiu com eles?
Costuma dizer a seus amigos como eles são importantes para você?

As três Palavras Perdidas

A história de um príncipe que perdeu três palavras muito importantes é o tema deste livro, o
Quem adivinha quais são essas palavras?
Palavras especiais serão nossas para sempre.
Seu nome, o que gosta, etc
Mass tem palavras que usam os tão pouco que quando precisamos elas custam a vir.....
Esta é a historia de alguém que perdeu três importantes palavras

A coragem do Leão

A Coragem do Leão - é uma história sobre um leão a quem faltava coragem... e um gato que não tinha esse problema.
O que o Leão pode fazer para recuperar sua coragem?
Porque a imagem que fazemos de nos mesmos é a mais importante?
Já experimentou repetir para você, aquilo que quer ser, como se já fosse verdade?

A vingança da Lua

A história de uma menina que decide vingar-se de uma colega de escola é o tema do n.º 6 da coleção.
As coisaasa não vao ficar assim! Aqui se faz... aqui se paga!
Nesta noite nem dormiu, imaginando a melhor e mais cruel forma de se vingar.....
Num processo de vingança, quem perde mais?
Como acha que a Lua deveria agir?
O que ganha quem perdoa?

O Tempo da Princesa

Fala sobre uma jovem princesa e uma tempestade que se abateu sobre o seu castelo...
O que poderá a princesa fazer para resolver este problema?
Quem manda no Tempo?
  • A natureza
  • São Pedro
  • AS moças da televisão para dizer se vai fazer chuva ou sol amanha?
Existiu uma época muito antes que a natureza contrariasse os homens, antes de São Pedro, antes da televisão e computador.....em que cada um era dono do seu tempo.
O que podemos fazer para que o Sol brilhe à nossa volta?
Já foi alguma vez contagiado pelo tempo de alguma pessoa?

Os piratas que roubavam verdades

Eles eram piratas, duros, ferozes, habituados a atacar e a roubar os navios que se atreviam a entrar nas suas águas.
Mas enquanto os piratas normais se interessavam por joias, moedas e mercadorias, estes roubavam? verdades!
Não pensem que se limitavam a pegar nelas e partir, não!
Eles roubavam as verdades, mas? deixavam mentiras em seu lugar. E, às vezes, até deixavam mentiras de boa qualidade!
Desta forma nem parece tão grave, pois não?
Mas não era bem assim!
Nos navios assaltados por eles, passado algum tempo, começavam as suspeitas, as acusações, os conflitos: todos desconfiavam de todos! Ninguém confiava em ninguém!
E a situação mantinha-se assim por meses e meses.
O motivo é que a confiança detesta a mentira: sempre que a mentira chega, a confiança afasta-se. E, quando se afasta para muito longe, já não consegue voltar!